Se não encontrar o autor, acesse o site da AMAZON por qualquer link de redirecionamento no blog.

Bem-vindos ao MQ ✓ VENDA NACIONAL E INTERNACIONAL✓

Comando Estelar- Sta Esmeralda

 A Esmeralda de Lucifer. As Hierarquias ECMO

O Triunfo da Vontade

A seguir algumas informações para se estudar o simbolismo da ESMERALDA DE LUCIFER
*Arquivo .pdf no final da publicação disponivel para download* 

"....TERCEIRO TRONO CÓSMICO: Com seus 7 Raios de Luz, os Divinos Auto-Gerados, nascidos de 7 encontros de Fohat e Kundalini, formam os 7 Estados de Consciência do UNO-TRINO. Os 7 Ishwaras formam o primeiro Decano Cósmico, podemos dizer,
pela Lei do Tulkuismo, o Grande Homem Cósmico,...o Adam Kadmon.
O Professor Henrique José de Souza denominou-os Lampadário Celeste; nas religiões são os 7 Archanjos diante do Trono ou da Presença, ou ainda os 7 Elohins".

..."...o Dragão representa uma espécie de Deus antagônico, Deus da oposição, ou o elemento que faz oposição ao pólo positivo, forma a oposição do Deus Único e Verdadeiro. Lembra o Arcanjo Mikael combatendo o Dragão, dando surgimento à polaridade, a existência de dois pólos: O Bem passou a funcionar no Mal, a Rebeldia do Senhor do Mental Cósmico, o Quinto dos Senhores do Lampadário
Celeste, uns dos Elohins ou Serafins tirou o Quarto Sistema do Pralaya, pôs em atividade a matéria para que esta produzisse o FOGO a fim de acionar a Inteligência.

Constelação do Cruzeiro do Sul
O Grande Dragão Venusiano deu combate à harmonia para provocar o avanço Mental sobre a Terra.
Após a luta entre Mikael e o Dragão, este desceu, e com a sua cauda
apagou as 22 estrelas da Constelação de Ziat, tornando o local, o denominado "saco de carvão", região obscura, sem vida. Ziat é o nome da Constelação do Cruzeiro do Sul, cujo significado é Deus na Cruz ou o Crucificado no Sexo.

Lembremo-nos da Lenda do Santo Graal: este vaso teria sido talhado
pelos Anjos numa Esmeralda caída da Fronte de Lúcifer, quando de sua queda. Além disso, diz-se que o Graal foi confiado a Adam no Jardim do Éden, ou Paraíso Terrestre.

Mas, por ocasião de sua queda, Adam, por sua vez, o perdeu por não
poder levá-lo quando foi expulso do paraíso.
Seth (Terceiro Filho de Adam, gerado à sua semelhança, conforme sua imagem- Genesis 5,3), conseguindo entrar no Paraíso, pode assim recuperar o precioso Vaso, e, desde então, a POSSE DO GRAAL REPRESENTA A CONSERVAÇÃO INTEGRAL DA
TRADIÇÃO PRIMORDIAL. "

Será que não é a nossa própria imagem, as imagem dos
nossos erros que projetamos N`Ele?"

..."A mais Bela Estrela do Eterno, o Mental Cósmico, o Arcanjo Caído transformou-se num Ser medonho, metade Homem, metade animal. Será que não é a nossa própria imagem, as imagem dos nossos erro que projetamos N`Ele?"

Fonte:http://members.lycos.co.uk/brionnfhionn/TomPages/mysteris.htm




"O TERCEIRO AEONA Humanidade, neste estágio, ainda estava num estado de ser não distante do nível animal.
"As Crianças da Voz" existiam em uma Alma-Grupo ou Consciência-Grupo. Embora o plano físico já existisse, ainda não estava completamente separado das esferas superiores.

Uma ocasião ocorreu quando a Humanidade ficou maravilhada na Terra, conforme testemunhou um Grande Ser Divino de Luz se aproximando. Este Ser alto e esguio ficou em pé, com uma brilhante radiância de Luz Verde e Dourada. Ele usava uma Coroa de Cobre, incrustrada com uma Esmeralda que iluminava a Esfera.

Este Ser desceu dos céus, na "Grande Queda". Seu nome era Lúcifer, que significa "O Portador da Luz". Este Ser forneceu para a Alma da Humanidade algo de Sua Mente e de Seu Conhecimento Angélico.

Assim, foi de Lúcifer que a Raça dos Homens aprendeu a confeccionar ferramentas.

Ele ensinou a Humanidade a usar o fogo, e com o tempo, como extrair os metais da Terra e com estes forjar objetos.
Lúcifer também deu à Humanidade Livre Arbítrio para descobrir a
própria Natureza do Self.

GUARDIÕES DO GRAAL

PRIMEIRO RAIO: Vermelho- Divina Vontade

TALIESIN- Guardião do Graal RUBI.
A Vontade Controla a Vida, o desenvolvimento e a decadência da raça. Departamento do Manu. É atribuído a Saturno, Sábado.

SEGUNDO RAIO: Azul- Divina Sabedoria-Amor

MERLIN- Guardião do Graal SAFIRA É a expressão e a incorporação da Alma, o aspecto Cardíaco do Logos.
Departameto do Bodhisatwa. É atribuído a Júpiter- Quinta-Feira

TERCEIRO RAIO: Amarelo- Divina Atividade Inteligente

MADOC- Guardião do Graal CITRINO É a expressão e a incorporação do Corpo, o aspecto manifestatório da Inteligência Ativa.
Departamento do Maha-Chohan, o Senhor da Civilização
É atribuído ao Sol- Domingo

QUARTO RAIO: Laranja- Divina Perfeição e Pureza

GANEIDA- Guardião do Graal TOPÁZIO
Harmonia Através do Conflito- Arte
É a expressão da meta para a qual o mundo físico criado está se
esforçando para obter: Harmonia.
É atribuído a Mercúrio- Quarta-Feira

QUINTO RAIO: Verde- Divina Cura Divino Conhecimento-Divina Verdade

ISOLDA- Guardião do Graal ESMERALDA
Mente Concreta e Ciência
É a inspiração do desvelamento da Verdade, subjazendo os aspectos
da Forma.
É atribuído a Vênus- Sexta-Feira

SEXTO RAIO: Púrpura-Indigo- Divina Paz e Devoção

GUINEVERE- Guardião do Graal Diamante
Raio do Idealismo e da devoção
Estimula a devoção em todas as religiões, e a aspiração, e prepara
o pensamento do Mundo para a vinda do Instrutor Mundial.
Dá poder, através da Justiça Cósmica, à perseverança focalizada
através de todos os obstáculos concebíveis.
É atribuído a Marte, terça-feira

SÉTIMO RAIO: Violeta- Divino Conhecimento

MORGANA- Guardião do Graal Ametista
Ordem Cerimonial ou Magia
Expressa todos os aspectos do Ritual e das Cerimônias, através
daquelas Leis, Ritmos e Desígnios padronizados, que mantêm e
permitem a evolução da Criação.
É atribuído à Lua- segunda-feira.

SÍNTESE DOS RAIOS: BRANCA LUZ DO LOGOS

MAGDALENA- A MADONA NEGRA
Os atributos dos Sete Raios
São agrupados em Magdalena, Esposa de Jesus.
Algumas vezes conhecida como Madona Negra.
Da mesma forma que a cor negra se obtém pela absorção em
si de todas as cores do espectro, assim a Madona Negra absorve
todos os 7 Raios Divinos antes de combiná-los na brilhante Luz Branca do Logos emanando a partir do Santo Graal, o sangreal. A partir deste Graal, esta Santa Luz irradia-se para curar todas as enfermidades do Planeta Terra, nossa Mãe e nosso Lar.

A atribuição planetária deste Raio Combinado é a Terra, e subjaz em todos os dias da semana.

Fonte: "O Mistério das Catedrais"- Fulcanelli- Coleção Esfinge- Edições 70- pag.109/10

"Eis-nos agora diante de um símbolo muito complexo, o do LEÃO.

Complexo porque não podemos, perante a nudez atual da pedra, contentar-nos com uma simples explicação. Os sábios associaram ao Leão diversos qualificativos, fosse para exprimir o aspecto das substâncias que eles trabalhavam, fosse para designar uma qualidade especial e preponderante. No emblema do Grifo (Oitavo motivo) vemos que o Leão, rei dos animais terrestres, representava a parte fixa, básica, de um compostos, fixidez que em contato com a volatibilidade adversa, perdia a melhor parte dela própria, a que caracterizava a forma, ou seja, em linguagem hieroglífica, a cabeça. Desta vez devemos estudar o animal sozinho e ignoramos de que cor estava originalmente revestido. Em geral o Leão é o signo do Ouro, tanto alquímico como natural; traduz, portanto, as propriedades 
físico-químicas destes corpos. Mas os texto atribuem o mesmo nome à matéria receptiva do Espírito Universal, do Fogo Secreto na elaboração do dissolvente.
Trata-se, nestes dois casos, de uma interpretação de poder, de incorruptibilidade, de perfeição, como indica bem, aliás, o bravo de
espada erguida, o cavaleiro coberto com uma cota de malha que representa o rei do bestiário alquímico (gravura XV).

O primeiro agente magnético que serve para preparar o dissolvente -
que alguns denominam Alkaest - é chamado LEÃO VERDE, não tanto porque possua coloração verde, mas porque não adquiriu os caracteres minerais que distinguem quimicamente o estado adulto do estado do que nasce. É um FRUTO VERDE E AMARGO, comparado com o FRUTO VERMELHO E MADURO. É a juventude metálica sobre a qual a Evolução não atuou, mas que contém o germe latente de uma real energia, chamada mais tarde a desenvolver-se. São o arsênico e o chumbo, em relação à prata e ao
ouro. É a imperfeição atual de que sairá a maior perfeição futura; o
rudimento de nosso embrião, o embrião de nossa pedra, a pedra do nosso Elixir.

Certos Adeptos, Basile Valentim entre Eles, chamaram-lhe VITRÍOLO VERDE, para expressar a sua natureza cálida, ardente e salina; outros, ESMERALDA DOS FILÓSOFOS, Orvalho de Maio, Erva Saturniana, Pedra Vegetal, etc. "A nossa água toma o nome das folhas de todas as árvores, das próprias árvores e de tudo o que apresenta uma cor verde, a fim de enganar os insensatos" diz Mestre Arnaud de Villeneuve.

Quanto ao LEÃO VERMELHO, não é, segundo os Filósofos, senão a mesma matéria, ou Leão Verde, levada por certos processos a essa qualidade especial que caracteriza o ouro hermético ou Leão Vermelho. É o que levou Basile Valentim a dar esse conselho: "Dissolve e alimenta o verdadeiro Leão com o sangue do Leão
Verde, porque o sangue fixo do Leão vermelho é feito do sangue volátil do verde, pois são ambos da mesma natureza".

Fonte: "O Mistério das Catedrais" Fulcanelli- pág. 20

"Há portanto DUAS ESTRELAS, que, apesar de parecer inverosímil, formam realmente uma só. A que brilha sobre a Virgem Mística - simultaneamente nossa mãe e mar hermético, - anuncia a concepção e é apenas o reflexo da outra que precede a miraculosa vinda do Filho. Porque se a Virgem Celeste é ainda chamada "stella matutina" , a estrela da manhã; se é lícito ver nela o esplendor de um sinal
divino; se o reconhecimento dessa fonte de graças dá alegria ao
coração do artista, trata-se, no entanto, apenas de uma simples imagem refletida pelo ESPELHO DA SABEDORIA."

Observe que a sephira Netzach, a sétima Sephira, é atribuída a Vênus, a "pequena mãe", a "Venus Terrestre" de Cor Verde, e a terceira Sephira, Binah, é atribuída a Saturno, a "grande Mãe", a "Vênus Urantia".
Tanto o Cobre, atribuido, a Vênus, adquire a coloração verde com a oxidação, bem como o Chumbo, com a Putrefação Alquímica de Saturno, relaciona-se à côr Verde.

O Símbolo astrológico do Planeta Vênus, uma esfera sobre uma cruz,
representa o "ESPELHO DA SABEDORIA", da mesma forma que a Mente, Manas, representa o ESPELHO DA RAZÃO PURA, A INTUIÇÃO ou BUDHI, ligada à Sexta Sephira Tiphereth.

A Consciência Solar, o Ouro dos Alquimistas.
Existe uma duplicidade básica da mente: a mente Concreta (os 4 sub-
planos inferiores do plano mental) e a Mente Abstrata (os 3 sub-planos superiores do plano mental). Esta relação do Quaternário Concreto e do Ternário Abstrato está implícita na dualidade entre a "venus terrestre e a venus celeste".

Por outro lado, no esquema de evolução de Saturno, o "senhor da
experiência" ocorre a síntese dos sete esquemas evolutivos do Logos Solar, da mesma forma que na Sephira Binah existe a síntese das 7 sephiras (4-5-6-7-8-9-10) inferiores.
Com esta Síntese de saturno, ocorre a sintese da manifestação, ou
Criação da Mente de Brahmah. Da mesma forma, os Sete Kumaras, ou Sete-Nascidos-da-Mente-de-Brahmah )Sapta-Brahma-Manasaputras), sintetizam os Setes Raios da Consciência.

Planeta Vênus
A ESMERALDA é relacionada com o Planeta Vênus, com a planta Rosa, com a Cor Verde e com o Chakra Cardíaco: o tatwa VAYU, de Côr Verde, regula o Chakra cardíco, cujas pétalas de Cor Dourada também refletem o matiz Rosa.

A Conexão entre Lucifer e Cristo e Vênus também é aparente no Apocalispe XXII, 16: "Eu sou a resplandecente estrela da manhã", ou Lucifer. Já vimos a conexão entre a Hierarquia dos Kumaras, e, particularmente no que se refere ao nosso Logos Planetário, a conexão entre o Kumara de Vênus e o Kumara Terrestre. 

Os simbolos astrologicos de Vênus (Consciência Solar ou Manas Superior sobrepujando a mente concreta quaternária, ou circulo sobre a cruz) e da Terra (Consciência concreta sobrepujando a Consciência Solar, ou cruz sobre o círculo) denotam a relação existente entre a Personalidade Quaternária (corpo físico-corpo vital-corpo emocional-corpo mental concreto) e a Alma Ternária (Atma-Buddhi-Manas).

Pentalfa ou Pentagrama
Símbolo do Pentalfa representa a Quintessência Operante transformando e transmutando o quaternário terrestre, além de representar Vênus, a Mente, o Quinto Princípio, o quíntuplo Raio de Brahmah: 

1- terceiro Raio-inteligência ativa- campo da filosofia
2- quarto raio- harmonia através do conflito- campo das artes
3- quinto raio- conhecimento concreto- campo das ciências
4- sexto raio- devoção- campo das religiões exotéricas
5- sétimo raio- magia cerimonial- administração e civilização concreta.

Vemos aqui o Quíntuplo campo de atuação do Senhor da Civilização, expressando-se na Humanidade (A Encarnação do Terceiro Logos, o Verbo) como Civilização e Cultura.

A Esmeralda de Lucifer, ao mesmo tempo presente no Coração e na Fronte da Testa, no Chakra Ajna, representa uma síntese entre o Terceiro Logos e o Segundo Logos, vivenciada nos mistérios do Santo Graal, do Sangue Real, de Cristo, Lucifer, dos Divinos Sacrifícios (Sacro Faccio, Tornar sagrado) das Hierarquias na Limitação da Forma, na crucificação no quaternário para que a Rosa Central possa desabrochar. Esta Consciência Solar, a Alma como Karana Sharira, Augoeides,

Veículo Causal, possui as seguintes pétalas:

1- três pétalas externas- Conhecimento Mental....Manas...........Nirmana-kaya

2- três pétalas intermediárias- Amor-Sabedoria....Buddhi............Shamboga-kaya

3- três pétalas internas- Vontade-Sacrifício..........Atma..................Dharma-kaya

4- tríplica jóia central.............................................Mônada
Divina....Svab-havat-kaya


Existe uma conexão entre a Rosa do Coração, a Vida Divina e o
Dodecaedro, de lados pentagonais:

Abaixo recortei de outro estudo que fiz:

Para colaborar com os estudos sobre o número 12 envio as seguintes
considerações:

1- SÓLIDOS PLATÔNICOS

Sólido Número de Vértices Número de lados Elemento


Tatwa Tetraedro 06 04 Fogo

Tejas Hexaedro 12 06 Terra

Prithivi Octaedro 12 08 Ar

Vayu Icosaedro 30 20 Água

Apas Dodecaedro 30 12 Éter

Akasha Esfera 00 00 Vácuo

Anupadaka

Tetraedro.........Base triangular

Hexaedro.........Base Cúbica

Octaedro..........Base triangular

Icosaedro.........Base triangular

Dodecaedro......Base pentagonal

Para focalizar o número 12, escolhi as seguintes relações:

- O dodecaedro, com base pentagonal, representando o elemento éter- prana, se relaciona com a biosfera do planeta, com o quinto elemento, akasha, o centro da cruz (a rosa na cruz), o quinto reino da natureza (sintetizando os reinos mineral, vegetal, animal e hominal) -- o "reino espiritual" --, e quando cada um dos pentágonos é representado por 5 triângulos equiláteros temos o "dodecaedro
estelado" representando a "rede de consciência crística" (ou
luciférica) do planeta.

- Uma chave arqueológica relacionando o "mithos" do "cristo
cruxificado", o Arcano 12 , e Osiris : No segundo Templo de Osiris, em Abydos, no Egito, a planta deste Templo possui a proporção de 2 pentágonos adjacentes (Lucy de Lubicz), representando este arquétipo de morte-ressurreição (presentes nos Arcanos 12/13).

- Sobre a "Rosa-Cruz" e o dodecaedro, se nos lembrarmos que o
"fruto da Vida" tridimensionalmente é representada por 13 esferas tangentes (12 esferas ao redor da décima-terceira), temos esta mesma relação plasmada em 7 esferas (projeção bi-dimensional das 13 esferas): ou 6 esferas ao redor de uma sétima.


- O dodecaedro possui 12 pentágonos, ou seja: 12
x 5 = 60 "linhas- duplas" Se considerarmos os centros de cada pentágono: 12 centros Teremos 72 aspectos (60 + 12 ), ou as "72 Ordens Esotéricas Terrestres" ou os "72 Nomes de Deus" (Podemos chegar ao mesmo resultado com o Tetragramaton -IHVH).

- O número base 60 é um padrão fundamental na Astronomia Sumeriana, o qual é um harmônico fractal de 6, e seus divisores são extremamente úteis como base de um calendário (Donde a relação entre 5,6, 12, 60, 72): 60 é divisível por 1, 2, 3, 4, 5, 6, 10, 12, 15, 20, 30 e 60: 12 denominadores!

- O número 12 pode ser visto como "sacrifício na forma" (12 esferas), e o número 13 pode ser visto como "ressurreição" (12 esferas + esfera central, ou "Vida"=Sol Oculto): estes parâmetros facilmente reconstroem o "mithos" sacrifício-morte-ressurreição de Cristo-Osiris. 


- O número 13 como "totalidade" também pode ser derivado da árvore da vida (10 sephiroths) + o "Logos Oculto Trino" (Ayn, Ayn Suph, Ayn Suph Aur).
A relação com as "13 esferas" do "fruto da vida".

- A relação entre as 13 esferas tridimensionais do "Fruto da Vida" e
as 7 esferas bi-dimensionais também está espelhada nos "7 Dias do Genesis":

Podemos dizer que os "7 dias da criação" ocultam "13 etapas" numa dimensão superior (Fazer analogia com as 7 rondas e as "rondas esotéricas" da teosofia).

- Podemos fazer a seguinte relação para demonstrar o "desdobramento da unidade" até o "harmônico de 12":
- A unidade se manifesta pelo ternário: 1=3 (p.ex.: as 3 Gunas
Samkhya)
- O ternário se expressa pelo setenário:
1- 1,2,3
8- 1,2,2
2- 1,3,2
9- 1,3,3
3- 2,1,3
10-2,1,1
4- 2,3,1
11-2,3,3
5- 3,1,2
12-3,1,1
6- 3,2,1
13-3,2,2
7- 1=2=3
(Em equilíbrio)

- O setenário "bi-dimensional" é "sombra" do "13 tri-dimensional"

COMO HARMÔNICO DE UMA ESCALA OU DIMENSÃO:
as 7 notas da escala musical + 5 notas (bemóis e sustenidos) = 12 notas Também válido para a escala cromática, com os overtons.
Como o 7 "se completa numa oitava superior", assim também o 12 "inicia o 13" (12 + 1).

Neste sentido, os numeros 7-8 e 12-13 são parâmetros de "espectro
dimensional" (7 e 12) e de "mudança dimensional" (8 e 13).
Curiosamente, os Arcanos 12 (Kumara Sacrificado, o Cristo como Logos Solar crucificado no Sistema Solar) e 13 (Morte como : mudança dimensional) espelham estes conceitos.

- O "Cubo de Metatron" ou "Estrela da Merkabah" também espelha uma Oitava Completa: 2 tetraedros = 8 pontos no espaço = 6 pontos no Hexagrama + 2 pontos no eixo vertical.
Cubo de Metatron / Estrela da Merkabah

- A sequência de Fibbonacci também é interessante: 1-1-2-3-5-8-13-21- ....
Como em nosso atual sistema Solar a ênfase do trabalho das 12
Hierarquias recai no desenvolvimento da Consciência, esta tônica do segundo Logos é representada pelas 7 esferas do plano central (seis periféricas e 1 central), no modelo de 13 esferas (Arquétipo do Sol Central e seus 12 raios criadores).
sequência de Fibbonacci


Fonte: Livro "Angelic Realities- the survival handbook"- Ashayana Deane, Ekr.MC
Wild Flower Press http://www.5thworld.com / http://www.azuritepress.com


NÍVEIS ADMINISTRATIVOS DO CONGLOMERADO DE MELCHIZEDEK DA ORDEM DE ESMERALDA E AS 13 RAÇAS DO TRATADO DE PAZ DO ACORDO DE CO-EVOLUÇÃO DO CONSELHO DE ESMERALDA DOS FUNDADORES

(Em Ordem descendente de Administração. Todas as organizações do Conglomerado de Melchizedek da Ordem de Esmeralda - CMOE - são co-operativas igualitárias e não trabalham sob ordem hierárquica autoritária, mas ao invés disto através de acordos co-cretivos baseados nos princípios da Lei de Comunhão do Uno,
e genuínos ensinamentos não-patriarcais do Conglomerado de Melchizedek Maharata-Cristo Interno.)

OS YUNASAI: "O Ponto Central de União do Todo- Consciência Eterna do Todo-Uno".

Também chamado de Grande Espírito, Origem ou Deus.
YANAS: Eternos Coletivos de Consciência projetados pela Origem-Deus para formar os 3 Campos Primais de Som, o KHUNDARAY, da Matriz de Energia, além de nossa Matriz Temporal de 15 dimensões, a partir e através dos quais o campo de vida consciente de nossa Matriz Temporal é semeado. A última semeadura da atual
onda-de-vida em nossa Matriz Temporal ocorreu há 950.000.000.000 de anos atrás.

Também chamados de "Entidades Geomânticas" , "Ultra-Terrestres", a "Trindade Cósmica", (os legítimos) "Mestres Ascensionados" ou coletivamente a Ordem de Yunasai do Conglomerado de Melchizedek, "Conselho dos Anciãos Eiyeyani do
Conglomerado de Melchizedek" ou nossa "Família de Consciência
Cósmica".

Grandeyanas- Yanas do Primeiro Campo de Som Primal, o Nível Eckático da matriz de Energia - Primeira Individuação da Origem. Também chamado de "Yanas da Ordem de Esmeralda" ou "Yanas da Chama Azul".

Wachayanas- Yanas do segundo Campo de Som Primal, o Nível polárico da Matriz de Energia - Segunda Individuação da Origem. Também chamado de "Yanas da Ordem Dourada" ou "Yanas da Chama Dourada".

Ramyanas- Yanas do Terceiro Campo de Som Primal, o Nível triádico da Matriz de Energia- Terceira Individuação da Origem. Também chamado de "Yanas da Ordem Ametista" ou "Yanas da Chama Violeta".

RAÇAS FUNDADORAS DA ORDEM BRENEAU


Gestalts Eternas de Consciência projetadas pelos Yanas para formar os 3 Campos Primais de Luz, a KEE-RA-SHA, ou Dimensões 13-14-15 em nossa Matriz Temporal de 15 Dimensões. Os Campos de Radiação Luminosa da Ante-Matéria de Densidade 5 Esférica termoplástica Consciente de KEE-RA-SHA são o Ponto de Consciência entrando na manifestação sob a forma de radiação luminosa. Também chamados de "Rishi", " Rishi Solar",

"Meta Terrestres" ou coletivamente como as "3 Raças Fundadoras" de Consciência, nossa "Família de Consciência Universal" ou "Trindade Universal".


Elohei-Elohim da Ordem de Esmeralda: Primeira Manifestação Luminosa da Consciência da Origem, projetada a partir do Campo de Som da Matriz de Energia Eckática Grandeyanas da Chama Azul. Semearam A Raça dos Fundadores Christos Elohei-Elohim Felídeos-Hominídeos anuhazi há 950.000.000.000 de anos atrás na
Densidade 4, no planeta de Pré-Matéria da Dimensão 12 Lira-Aramatena via o Portal Estelar-12 Universal. A Linhagem Graal Eieyani "Casa Real de Aramatena" e a Primária Linhagem Graal Oraphim-Turaneusiana-Angélica-Humana. O Conselho-Mestre dos Eieyani do Conglomerado de Melchizedek da Densidade 5 apontados pelos Yanas como Guardiãos Primários de nossa Matriz
Temporal.

Fundadores da Associação Inter-Dimensional dos Mundos Livres (AIML) nas 15 dimensões, a Equipe de Segurança Templar Universal dos Azuritas e a Aliança dos Guardiãos, organizações de serviço universal e o Acordo de Co-evolução do Conselho de Esmeralda de 950 bilhões de anos atrás. A Linhagem híbrida caída
da dimensão 11 Anyu-Felídeo-macaco-aquático do planeta da dimensão 11 Lyra-Aveyon se tornou a Raça Angélica Caída Annu-Elohim da Dimensão 11 há 250.000.000 de anos atrás, criadora das várias raças Angélicas Caídas Anunnaki "Vingadoras Anu" do Sistema Estelar Siriano, incluindo os hominídeos-Pleidiano-Nibiruano-Anunnaki e os "Povos Golfinhos Bípedes" de
Sirius A. Ordem Dourada Seraphei-Seraphim: Segunda Manifestação de Luz da Consciência-Origem, projetada a partir do Campo de Som da Matriz de Energia Wachayanas Poláricos da Chama Dourada. Semearam os Avianos Cerez ("Povo Pássaro") , o Louva-a-Deus Aethien, as Raças Fundadoras Christos-Seraphim-Seraphei Insectóide-reptilóide-Dinóide há 950.000.000.000 de anos atrás no planeta de Pré-Matéria na Dimensão 10 e Densidade 4 Lira-Vega
através do portal estelar 10 Universal. A Linhagem Graal Eieyani "Casa Real de Vega" e os Fundadores Secundários da Linhagem Graal Angélica-Humana Oraphim-Turaneusianos. Apontados pelos Yanas como Guardiãos Secundários de nossa Matriz Temporal. Membros pertencentes à Associação Inter-dimensional de Mundos Livres nas 15 dimensões, na Equipe de Segurança Templar Universal
Azurita e na Aliança dos Guardiões, organizações de serviço universal e no Acordo de Co-evolução do Conselho de Esmeralda de 950 bilhões de anos atrás.

Apontados como custódios da Raça Caída Drakoniana nos esforços de re-habilitação. As Linhagens do planeta Lira-Vega na dimensão 10, "Mariposa-Dragão" Omicron Caído D-10 e Odedicron "Réptil" se tornaram a linhagem da Raça Angélica Caída Drakonianos-Seraphim D-10, criadores das Raças Angélicas Caídas dos Drakon, Zephelium-Zeta, Dracos, Necromiton, Azriel, Dinóides, Répteis e Insectóides, centradas no Sistema estelar de Órion.

Bra-Ha-Rama da Ordem de Ametista: Terceira Manifestação Luminosa da Consciência-Origem projetada a partir do Campo de Som da Matriz de Energia Ramyanas Nivel Triádico da Chama Violeta. Semearam o "Povo-Baleia" Cetáceos Inyu, os Golfinhos Aquáticos, os Pegasai ("Pégasus"), Avianos-Cavalo-Alces e a
Raça de Fundadores Christos Yonei Bra-Ha-Rama Macacos-Aquáticos há 950 bilhões de anos atrás no planeta Lira-Aveyon de Pré-Matéria na dimensão 11 e densidade 4, através do portal Estelar 11 Universal. Fundadores Contribuintes da legítima Linhagem Graal Eieyani "Casa Real de Aveyon" e Linhagem Graal Angélica-Humana-Oraphim-Turaneusiana. Apontados pelos Yanas como
contribuintes Guardiãos Secundários de Nossa Matriz Temporal. Membros pertencentes à Associação Inter-dimensional dos Mundos Livres nas 15 dimensões , Equipe de Segurança Templar Universal Azurita e Aliança dos Guardiões , organizações de serviço universal e o Acordo de Co-evolução do Conselho de Esmeralda há 950
bilhões de anos atrás. Apontados como custódios dos esforços de
regeneração das raças Caídas Annu-Elohim/Anunnaki, muitos dos quais são orquestrados pela Grande Fraternidade Branca. As Raças Caídas da linhagem Bra-Ha-Rama hibridizaram tanto com as raças Angélicas Caídas Annu-Elohim e Drakonianas-seraphim.

http://www.kronos.org/ mailto:kronos@kronos.org  EDICIONES ACTUALIZADAS Y ORDENADAS desde Noviembre GC97 BUSCADOR KRÓNIDA" en http://www.kronos.org/bitacora/  http://www.kronos.org/bitacora/enlaceskronidas.html
Si quieres estar incluido no tienes más que decirlo

*************************************************


From: Miguel Serrano Fernández

Subject: "Manú, Por el Hombre que vendrá" ( 55 )

EL TRIUNFO DE LA VOLUNTAD

(traduzido do Espanhol)

O SACRIFÍCIO

Não esqueçamos, em todo caso, que o Karma genético nada mais seria do que o reflexo aqui na terra, a expressão plasmática, de um Karma preexistente, acumulado nas Rondas do Eterno Retorno, sua expressão simbólica, por assim dizer, nesta Ronda reativada novamente por Cronos-Saturno.

Além disso, na decisão final (mesmo que nunca haja uma decisão fim) outras forças misteriosas entraram na história, além da Vontade: chances cheias de significado e significado, como uma mão desconhecida que parece ter puxado as cordas de fora. Coincidências, "sincronismos" acausais que nos colocam na posição de ter que decidir por uma saída, mesmo acreditando que também haveria outras. Direita ou esquerda, aqui ou ali, até o fim de nossos dias; Ou talvez até metade. Tudo ou nada. Ou bem, apenas uma parte desse todo.

A mãe da dúvida é a razão, o lado esquerdo do cérebro, o córtex cerebral, o "continente" que surgiu após o colapso da Hiperbórea, após a perda do Gral, da Esmeralda de Lúcifer, do Poder de Odil.

Só temos a Vontade de aniquilar o demônio Smara da Dúvida com seu raio, de paralisar o raciocínio. O que é a Vontade? Atrevo-me a pensar que é a Runa SIEG, que é o Terceiro Olho, essa Pedra, essa Esmeralda, destacada da testa de Lúcifer, o Poder OD que foi perdido, ou nublado com o Pecado Racial, com o afundamento de Hiperbórea e a mistura do sangue astral divino. Este Raio passa pelo cérebro, vindo da Mente. Os "malformados cerebrais" de quem nos fala o pensador chileno Francisco Antonio Encina, são de vontade fraca, sofrendo de desconformidade" por hereditariedade e inferioridade racial. O misterioso Ray não encontra um instrumento adequado e saudável para sua expressão. Mesmo que seu poder seja tal que poderia até regenerar a matéria, superando a entropia.

Para Schopenhauer, a Vontade - muito semelhante à Vontade de Potência de Nietzsche - realiza-se mesmo que não haja razão, atuando inclusive em minerais e plantas, em sua reprodução. Esta seria a Vontade Demiúrgica, em nossa opinião. Mas há outra Vontade, com outra intenção ou desígnio, pronta para lutar precisamente contra essa Vontade de Poder. E, encontrando-se perdido agora, deve ser recriado, inventado, disciplinado e nutrido por um ato de inspiração e compreensão. Por um sacrifício. A realização de um ato que sela um pacto, um acordo com algo, ou alguém, que é anterior ou posterior à nossa aventura e que se faz sentir como uma Divindade, nossa própria e possível Divindade.

O Sacrifício deve ser necessariamente doloroso, incluindo a perda de uma satisfação efêmera, mesmo quando brilhante, de algo visto como importante, mas que ao final é trocado por uma felicidade maior ("estado de orgasmo contínuo, total"), em Walhalla. Possibilitando-nos chegar a um perfume dos carvalhos da Floresta de Ares, da Hiperbórea, para sacralizar nosso Combate.

Bem ou mal escolhido, com mais ou menos sorte, esta encarnação no Eterno Retorno é nosso campo de batalha, nossa individualidade. O sacrifício é dirigido ao Selbst, a Nós mesmos, à nossa divindade perdida, tentando transmutar o homo de terra, o chumbo, dar vida ao homo de coelho, o aurum potabile, o Tosão de Ouro , com um "fracasso" no continuum espaço-tempo (um piscar de Kronos-Saturno) para poder sair, retornar, escapar.

Devemos ver nos sacrifícios rituais sangrentos, nos massacres dos astecas, no canibalismo, nas guerras e crimes, nas oferendas a Jeová, nos sacrifícios sangrentos dos celtas, propiciados pelos judeus infiltrados entre os druidas, obra do Demiurgo que também plagia, deforma, desvia e inibe o Ritual Puro do Sacrifício Interior, etapa fundamental na Guerra do Heróis Divinos. Através do sacrifício, inicia seu caminho de Ressurreição e fortalece sua vontade de permanecer na decisão tomada, perseverando, "até que a esperança acredite, em seu próprio naufrágio, a coisa contemplada...

"Ficando firme em velhos sonhos, para que nosso mundo não perca a esperança"...

Desta forma, você é uma vítima de suas próprias criações mentais. Ou seja, nos oferecemos como holocausto para possibilitar a Ressurreição de um Deus, a criação do Superman, do Homem Absoluto.

Ele controlou, primeiro, com mão de ferro, sua natureza, seu corpo, era sua mestre e senhor, para colocá-los adequadamente a serviço da encarnação do Avatar, da Divindade. Ele era, portanto, Shudibudishvabhava, o Ser da Vontade Absoluta.

Miguel Serrano Fernández